Modelo de pombal em Madeirite 2ª parte

2 out, 2015 por

Modelo de pombal em Madeirite 2ª parte

Veja aqui a série de artigos deste modelo:
 
PARTE 1

VOCÊ ESTÁ AQUI

PARTE 3

PARTE 4

PARTE 5

PARTE 6
 
 

Vamos agora trabalhar do lado de fora destas duas chapas, preparando a marcação para fazer os cortes dos encaixes do madeiramento do telhado, que também servirão como molde para cortar o madeiramento da moldura. Veja os detalhes nas figuras 8, 9, 10 e 11. Primeiro vamos fazer a marcação onde vai se encaixar a peça do madeiramento inferior da parte dianteira do telhado, para isso vamos marcar uma linha horizontal 3,5 cm abaixo do topo, com 2,5 cm de largura, use um esquadro para fazer esta marcação (observe que para o exemplo estou considerando que o madeiramento do telhado tenha 2,5 cm, confirme a espessura do Taipá que você adquiriu para confirmar esta medida e altere se for necessário).

 

Figura 8FIG 8

 

Em seguida faremos a marcação da cumeeira, esta deverá ser centralizada ao meio da cumeeira e ser marcada com 10 cm abaixo do topo, novamente a largura deverá obedecer a espessura das ripas de Taipá.

 

Figura 9FIG 9

 

Agora vamos fazer a marcação da última peça, onde será encaixado o madeiramento superior da parte traseira do telhado. A partir da parte de traz da cumeeira faça uma marca com 20 cm de distância para delimitar o espaçamento entre as duas e desça 4 cm para delimitar o fundo do corte, faça outra marca entre as duas com a espessura desejada, no caso do exemplo a peça terá 2,5 cm de espessura, mais uma vez confirme a espessura das ripas do seu Taipá.

 

Figura 10FIG 10

 

Pronto, agora é só cortar, para utilizarmos estes cortes como gabarito para preparar as demais peças da moldura.

 

Figura 11FIG 11

 

Na etapa seguinte, vamos separar dois sarrafos de Taipá com pelo menos 2,31 m de comprimento, que também servirão como pés da parte de traz, e faremos uma marca com 30 cm em uma de suas extremidades para marcar a altura que ficará o pombal (você pode alterar a altura como quiser para o pombal ficar mais alto ou mais baixo, mas atente que a altura mínima deve ser de 20 cm, para não comprometer a colocação das chapas do fundo, ok.). Feito isso você vai pregar as chapas laterais nestas peças usando os pregos 12×12 e vai fazer um corte diagonal na parte superior, acompanhando o desenho da chapa de Madeirit, para aparar a sobra como mostra a figura 12.

 

Figura 12FIG 12

 

Depois, vamos preparar mais duas ripas de Taipá, com aproximadamente 66 cm de comprimento (detalhe: se você usou peças com 3,10 m de comprimento para fazer as partes que servirão como pés do pombal, a sobra já terá o corte e o tamanho ideal para esta segunda fase). Faça as marcações necessárias, conforme a figura 13, e corte as sobras, corte também a abertura que servirá de encaixe para o madeiramento do telhado. Não pregue estas ripas nas chapas de Madeirit ainda, aguarde para fazer a medição das outras peças primeiro para pregá-las todas juntas no final.

 

FIG 13

 

Em seguida prepare outros dois sarrafos de Taipá, com 1,68 m de comprimento, que servirão como suporte do telhado e do pegador de sol. Coloque-os sobre as chapas de Madeirit, que servirão de molde para marcar os locais de corte, faça as marcações necessárias e corte as sobras, conforme mostra a figura 14, depois de cortados, pregue as peças de 66 cm, que havia cortado anteriormente, com pregos 13×18 e em seguida estas duas peças de 1,68 m nas chapas de Madeirit, nos seus devidos locais. Preste atenção que estas peças devem ser pregadas pelo lado de fora do pombal, no lado inverso onde você pregou as sobras de Madeirit para auxiliar na sustentação do madeiramento do telhado e guia para a instalação do forro.

 

Fig 14FIG 14

 

Agora vamos preparar as peças que servirão como pés na parte da frente do pombal, separe duas ripas de Taipá, com pelo menos 2,18 m e faremos uma marca com 30 cm em uma de suas extremidades para marcar a altura que ficará o pombal, assim como fizemos para a parte de traz, coloque sobre a chapa, marque onde deverá ser feito o corte da sobra na parte superior, como mostra a figura 15 e em seguida pregue a peça na chapa usando pregos 12×12.

 

FIG 15

 

A seguir, vamos cortar duas ripas de Taipá com 95 cm de comprimento, que servirão para o fundo do pegador de sol. Então na peça que servirá como o pé da parte dianteira, faremos uma marca à 1,00 m a partir da base da chapa de Madeirit, como mostra a figura 16.

 

FIG 16

 

Mantenha esta peça alinhada sobre esta marca para marcar as peças que servem como suporte do telhado e do pegador de sol e cortar as sobras, como mostra a figura 17. Mas calma, não pregue estas peças ainda, guarde-as para quando for montar o pegador de sol mais adiante.

 

FIG 17

 

Para finalizar esta etapa, falta apenas completar a moldura da porta, para isso basta cortar duas peças utilizando a própria chapa como molde, conforme a figura 18 e pregá-las usando os pregos 12×12.

 

Figura 18FIG 18

 

Agora que as laterais estão prontas vamos preparar o fundo do pombal, então vamos separar uma peça de Taipá com 2,84 m que servirá como madeiramento da parte traseira do telhado e marcar 32 cm nas extremidades, que servirão para delimitar onde pregar as duas chapas de Madeirit no centro, que serão unidas por outra peça de Taipá com 2,10 m de comprimento, conforme a figura 19.

 

Figura 19FIG 19

 

Continua no próximo artigo!

 
Veja aqui algumas fotos deste modelo de pombal já construídos!
 
Veja aqui a série de artigos deste modelo:
 
PARTE 1

VOCÊ ESTÁ AQUI

PARTE 3

PARTE 4

PARTE 5

PARTE 6
 
Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil

Artigos relacionados

Tags

Compartilhe

14 Comments

  1. Nossa excelente artigo, mais didático impossível… Apenas me bateu uma duvida, conforme mencionado esse é um pombal com capacidade para 23 pombos, minha duvida é… Dar pra ser “competitivo” criando apenas 23 pombos? É viável para quem pretende começar no esporte e possui limitação de espaço?

  2. Marcio Coelho

    Sim Heitor, dá para ser competitivo com apenas 23 pombos e é perfeitamente viável para quem pretende começar, eu ainda vou escrever sobre isso.
    Para este artigo ainda faltam 39 figuras para a concluir a construção deste modelo e ainda falta falar sobre as versões de OSB e Compensado que permitem um maior número de pombos, que pode chegar a 50 com um único módulo.

  3. Muito obrigado pela resposta e parabéns pelo post e blog no geral, a columbofilia brasileira carece de um veiculo de informação sobre esse hobby (principalmente voltada aos iniciantes)… Aguardo ansiosamente seu post de como competir com numero “reduzido” de pombos.

  4. Marcio Coelho

    Valeu Heitor, muito obrigado!
    Vou trabalhar nisso logo!!!

  5. Quanto vc gastou com tudo para construir esse pombal?

  6. Marcio Coelho

    Olá Sávio, eu não consegui fechar o orçamento atual para este modelo por conta da falta do preço do Taipá de primeira, que é o mais caro do projeto, pois já tem muito tempo que construi o primeiro modelo, mas o custo todo não deve passar de R$ 800,00 (oitocentos reais).
    Todas as folhas de Madeirite ficam em torno de R$170,00
    As Telhas R$100,00
    A tela não fica por mais de R$50,00.

  7. Sávio

    Ha sim,obrigado!E mais uma duvida, qual a cidade que vc mora?

  8. Marcio Coelho

    Moro em Macaé RJ.

  9. Aldo

    Márcio Coelho, sou um amante da columbofilia,mas atualmente não estou com nenhuma criação. Gostei demais do seu projeto de viveiro. Já fiz inúmeros viveiros para pombos,mas este é diferente. Tenho vontade de criar novamente, mas não sei se posso no momento. Tenho espaço por aqui, mas a minha família não aprova isto. Bom, qualquer hora conversamos mais. Obrigado.

  10. Marcio Coelho

    Olá Aldo, não estou muito diferente de você atualmente, tenho planos de voltar a criar, mas vou ter que esperar um pouco mais ainda, enquanto isso aproveite para aprender mais, não só aqui. Uma boa dica é visitar grandes criadores perto de você e procurar saber o que eles fazem para ser campeões. Abraços.

  11. Moacir Gonçales

    Olá!! Sr Marcio Coelho graças ao seu projeto de pombal depois de 40 anos eu estou de volta a colombofilia e construi o meu.
    Foi muito gratificante essa construção do pombal. Algumas coisas eu modifiquei, mas 90% é do seu projeto.
    Olha Sr Marcio a colombofilia brasileira da época de1970 que eu criava pombos, evoluiu muito e acredito que com pessoas como o sr que passa seus conhecimentos e não tem receio de ensinar, vai crescer muito mais. PARABÉNS e eu só tenho a agradecer pois inspirado no seu projeto realizei o meu e ficou show. Estou enviando meu e-mail e gostaria de obter o seu se possível assim mandarei algumas fotos. Obrigada mais uma vez.

    Moacir

    canadian@bol.com.br

  12. Marcio Coelho

    Olá Moacir, fico feliz que tenha ajudado.
    A ideia é esta mesmo, fazer a columbofilia crescer, quando ampliamos o conhecimento, abrimos caminho para que novos conhecimentos apareçam e as suas modificações certamente são prova disso, sucesso na sua jornada.

  13. José Camarinhas

    Boa tarde,
    Abraços do outro lado do Atlântico.
    Gostei bastante do site e da informação que ele apresenta.
    Estou a aproveitar uma garagem para criação de pombos mas tenho uma dúvida, quais as necessidades de luz solar dos pombos? Precisam de muita luz, podem criar com baixa luminosidade?
    Obrigado.

  14. Marcio Coelho

    Olá Camarinhas, Obrigado pelo elogio, vocês aí do outro lado foram a raiz de grande parte do conhecimento que tenho hoje.
    Sim a luz solar é de extrema importância para a saúde dos pombos, mas se eles podem voar todos os dias não há problemas, pois são necessários pelo menos 20 minutos diários de exposição ao sol, isso já é suficiente.
    Se o pombal não tiver problemas com umidade ele pode ser instalado em local com baixa luminosidade sem problemas.
    Eu não sei como é o inverno aí, se tiver neve eu não tenho muitas informações, sobre como proceder, ainda preciso estudar sobre este assunto ainda.

Deixe uma resposta