Acostumando o Primeiro Pombo em Casa

31 jan, 2017 por

Acostumando o Primeiro Pombo em Casa

Uma das tarefas mais difíceis para um principiante é aduzir o primeiro pombo em casa, seja pela inexperiência, ou pela ansiedade, por querer ver logo algum pombo voando, muitos acabam por perder suas matrizes e até mesmo os primeiros filhotes, por ainda não entenderem muito bem como funciona este maravilhoso universo do POMBO-CORREIO.

 

A primeira coisa que precisamos ter em mente é que dificilmente você conseguirá aduzir um pombo-correio adulto, não estou dizendo que isto é impossível, alguns até se rendem ao novo lar, mas é uma tarefa muito difícil, mesmo para um criador experiente.

 

Desde pequeno aprendi a acostumar os pombos em casa arrancando as penas (remiges primárias) de uma, ou das duas, asas e deixando ele solto no quintal. À medida que as penas iam crescendo, o pombo ia alcançando lugares mais altos, até finalmente conseguir voar novamente, a esta altura ele já estava totalmente acostumado no local, mas esta técnica só funciona bem com pombos comuns, para os pombos-correio nem sempre é assim, a maioria deles vai embora logo que conseguem voar, alguns chegam a retornar em condições tão precárias que perguntamos como aquele pombo conseguiu voar só com aquele toquinho de asa, impressionante!

 

Depois, com o tempo, aprendi que arrancar muitas penas de uma só vez, vai exigir um esforço muito grande do organismo para reconstrui-las, o que traz muitos prejuízos para o pombo, além de que arrancar as penas de apenas um lado pode criar uma diferença no tamanho das penas, que não crescem no mesmo tamanho original, gerando um desequilíbrio muscular, que pode provocar lesões permanentes. Há muitos anos não arranco mais uma pena dos meus pombos, nem mesmo para acelerar a muda.

 

Pombo JovemA forma mais eficiente de aduzir o seu primeiro pombo em casa será com um filhote nascido no local. Quando adquirir seu primeiro casal, e depois que se reproduzirem comece por acostumar seus filhotes. Você pode fazer isso depois que os borrachos alcançam a idade de 22 dias, quando eles já estão empenados e começam a dar as primeiras bicadas na ração, comece por deixá-los no patim de entrada por um ou dois minutos, ainda antes de colocar a primeira refeição do dia (neste caso você não deixou comida no viveiro durante a noite), coloque-os preferencialmente em uma gaiola, para que não caiam, nem tentem entrar pelo lugar errado, então assim que seus pais se lançam sobre o cocho de ração, os filhotes se manifestam em querer chegar junto a eles, nesta hora você abre a gaiola oferecendo como único caminho a entrada do pombal. Se o filhote tiver medo de saltar nos primeiros dias, faça o percurso que ele deve fazer com a mão, e ele logo aprenderá o caminho.

 

A partir do 25º dia de vida, deixe os filhotes livres  sobre o patim de chegada, com esta idade eles ainda não sabem voar e rapidamente procuram o abrigo do pombal, assim você não corre o risco de perde-los. Os borrachos começam a dar os primeiros voos a partir dos 30 dias de vida, então estes dias iniciais servem para que aprendam o seu ponto de partida, que será no futuro o seu ponto de chegada, é no patim de chegada que eles irão exercitar o voo parado, quando eles ficam batendo suas asas sem sair do lugar, aos poucos vão ganhando confiança e começam a alcançar pontos mais distantes, mas sempre aos poucos, eles começam com saídas rápidas, se lançando no ar e voltando rapidamente ao patim ou ao telhado, cada vez indo mais longe, até começarem a explorar lugares mais distantes.

 

Pigarça na mudaSe você não começar a aduzir o seu filhote cedo, esperando ele crescer mais um pouco, corre o risco de perde-lo na adução. Filhotes que passaram desta época já tem todas as habilidades funcionais do voo prontas, mas não aprenderam o item mais básico! Eles não aprenderam a pousar no pombal! Eles simplesmente saem voando, se afastam muito e não conseguem retornar, eles até passam voando baixo sobre o pombal, mas não pousam.

 

Mas não se desespere, se os seus filhotes já passaram desta idade, você ainda pode conseguir aduzi-los, mas você vai gastar mais tempo prendendo eles em uma voliére por alguns dias, para que tenham uma vista do local antes que possa soltá-los definitivamente, neste ponto alguns criadores prendem as pontas da asa com fita crepe, durex, ou até fita isolante, impedindo que o pombo consiga abrir a asa, porém esta técnica acaba por danificar algumas bárbulas das penas, isso pode até não ter muitos problemas se o pombo ainda é filhote, pois logo irá fazer a troca da empenação, mas em um pombo adulto, estas penas ficarão danificadas até a próxima muda, e isso não é bom.

 

Prendedor de pomboPrendedor para pombosPara acostumar um filhote que tenha passado da época de aduzir, a melhor estratégia é utilizar sabão de coco, você só vai precisar de um amigo para segurar o pombo, (ou então usar uma geringonça como esta aqui ao lado), para prender o pombo e suas mãos ficarem livres para aplicar o sabão.

 

Funciona da seguinte forma: você ensaboa as mãos com sabão de coco e aplica sobre as remiges primárias, uma a uma, as barbelas irão se juntar e secarão coladas, assim o pombo tem a capacidade de voo reduzida drasticamente, sem danificar as penas, o pombo manterá suas articulações livres para continuar se exercitando, mas retornará à uma condição de filhote ainda jovem, com pouca capacidade de voo, permitindo que seja aduzido sem que saia “voando desembestado” por aí.

 

Para retirar o sabão, basta colocar uma banheira com água para que tomem banho, ou então se eles ficarem na chuva por algum tempo. Às vezes, se faz necessário mais de um banho para retirar todo o sabão, ou então você deixa que eles se molhem só um pouquinho de cada vez e o sabão vai sendo retirado aos poucos, o que permite ao pombo uma capacidade de voo progressiva, como se fosse um filhote cujas penas estão em crescimento, permitindo um voo mais longo a cada dia.

 

Atente para o fato de que você não pode soltar o pombo do lado de fora logo após passar o sabão, senão ele pode tentar voar e pode cair na casa do vizinho ou na rua e ser vítima de algum cachorro, ou mesmo ser atropelado, o ideal é soltar o pombo dentro do viveiro primeiro, para que ele perceba a dificuldade em conseguir alcançar o poleiro, e para que você perceba se a quantidade de sabão foi suficiente para impedir que ele consiga voar ou não, neste caso seria necessário aplicar uma nova demão sobre as penas.

 

MacotadoDepois de já ter alguns filhotes voando sobre o pombal, você pode ficar tentado a soltar os seus pais junto, para acostumar também, cuidado, não faça isso, pelo menos antes de um ano. Nós sabemos que um pombo cria “amor” não só pelo lugar onde nasceu, mas também pelo lugar onde cria sua prole e a possibilidade de você conseguir aduzi-lo depois de tirar alguns filhotes aumenta muito, mas… e na columbofilia tudo tem um mas, ele pode em algum momento querer retornar ao seu pombal de origem, se os seus filhotes forem jovens e estiverem voando junto com os pais, não terão receio de acompanha-los, mesmo que se afastem muito, e dependendo da distância que se afastem podem até não retornar mais, então tenha paciência e espere mais um pouco.

 

Outra possibilidade seria adquirir filhotes de outro criador, neste caso o ideal é que tenham em média trinta dias de vida, não muito mais que isso, só que tem um problema, você só deve tentar aduzir filhotes adquiridos de outros pombais depois que já tiver alguns pombos voando sobre o seu, pombos vivem em comunidade e filhotes vindos de outros pombais, fatalmente irão procurar bandos de pombos nas proximidades, pois já se habituaram a viver em grupo, então só tente aduzir estes filhotes mais tarde, quando já tiver os seus próprios filhotes voando.

 

Mas, e quando o pombo que estamos querendo aduzir já é adulto? Pombos adultos são muito difíceis de serem aduzidos no seu pombal, mas existem fatores que podem contribuir para que você possa aduzir um pombo adulto, entre eles está a demolição do pombal de origem dele. Se você adquiriu voadores adultos de algum criador que parou de criar, ou se mudou e teve que desmontar seu pombal, você tem grandes chances de conseguir aduzir este pombo em sua casa, você pode ter uma ideia de como fazer isso neste artigo, onde eu conto como consegui aduzir alguns pombos adultos de outro criador, para participar da minha primeira prova na columbofilia. Uma categoria semelhante a esta, são os pombos adquiridos de COLUMBÓDROMOS que são utilizados uma única vez.

 

No PombalTambém existem dois fatores na adução de pombos adultos que devem ser levados em conta, e dizem respeito ao quanto ele é um bom competidor! Pombos TOP de linha, apresentam dois extremos na adução, ou eles são fáceis de aduzir, ou então não são aduzidos de jeito algum. Perceba que estes pombos apresentam características bem distintas, que embora pareçam opostas, se completam em si.

 

Os pombos da primeira opção são fáceis de reconhecer, pois apresentam uma facilidade nata de perceber e aceitar as mudanças, alterando seu comportamento, para se adaptar ao novo ambiente, de uma forma tão impressionante, que passam a impressão de que eles já nasceram ali, o outro grupo apresenta uma intrepidez tão grande, que são capazes de encontrar o caminho de casa mesmo que lhes tenha sido tirada a capacidade de voo, esta é a famosa “Tenacidade” tão procurada pelos columbófilos.

 

Aqui na cidade conta-se as façanhas dos pombos de um criador conhecido como “Seu Frazão” ele só criava Correios, mas não participava de campeonatos e também não anilhava seus pombos. Jovens que adquiriam seus pombos, tentavam de tudo para aduzi-los, mas sempre sem sucesso, seus pombos sempre conseguiam voltar, mesmo com as penas das asas cortadas no talo à tesoura, fala-se que um pombo retornou tantas vezes, que por fim o garoto arrancou todas as penas das duas asas e mesmo assim, no dia seguinte pela manhã o pombo estava rondando o portão da casa de seu dono querendo entrar.

 

Pois é… o que seria de nós se não fossem as estórias que nos levam a admirar cada vez mais estas magníficas aves, não é mesmo? Até a próxima.

 
Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil

Artigos relacionados

Tags

Compartilhe

6 Comments

  1. Paulo

    Bom dia, continue assim os columbófilos novatos agradecem , Parabéns !!!!

  2. Ermeson

    Marcio vai ia fazer algum artigo sobre a nutrição dos pombos ou quando o pombo tiver magro sem poder voa e como nutri-lo novamente ?

  3. Marcio Coelho

    Valeu Paulo, Obrigado!

  4. Marcio Coelho

    Ermeson, o próximo artigo deverá ser sobre a ração depurativa utilizada na chegada de uma prova, logo após a reidratação!

  5. andre

    muito bom, me da uma dica de alimentacao ou remedio para reduzir os riscos de doencas para nos humanos.

  6. Marcio Coelho

    Olá André, na verdade o maior risco de doenças é para os pombos, deve-se ter muito cuidado com o que se leva para dentro dos pombais, inclusive na sola dos pés, a Salmonella Typhimurium que nos humanos provoca apenas uma gastroenterite, para os pombos pode ser mortal.
    Remédios só se o pombo estiver doente, uma alimentação balanceada já garante o mínimo de saúde que um pombo precisa, como complemento é recomendado a utilização de probióticos, para ajudar na manutenção da saúde.
    Existem alguns mitos populares e conceitos equivocados acerca dos problemas e até mesmo das doenças que os pombos efetivamente podem causar, basta ver as legislações do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (MAPA) que são muito mais rigorosas para o manejo de porcos, gado e galinhas do que para os pombos, mesmo com o manejo dos pombos permitir que sejam colocados em liberdade fora de suas delimitações, o que não acontece com os outros animais que vivem em regime de confinamento permanente, isto demonstra claramente que os pombos oferecem muito menos riscos que os outros três.

Deixe uma resposta