Reidratação

31 dez, 2016 por

Reidratação

Quando um pombo chega de uma prova mais longa, a primeira coisa que ele procura é a água, não é mesmo? Mas quando falamos em reidratar, não é pura e simplesmente deixar bastante água à disposição dos pombos na chegada. Não basta que o pombo beba água, é preciso que esta água seja absorvida o mais rápido possível para o seu organismo, a fim de que possa ser utilizada nos mais variados processos onde é necessária. Também não é só nas provas duras, ou com dias mais quentes, que a hidratação é necessária, até mesmo em provas rápidas de velocidade é fundamental uma boa reidratação, principalmente se os pombos são enviados com fome para estas provas.

 

Para isso existem alguns recursos que podemos utilizar, a fim de otimizar este processo, como o uso de reidratantes. É aqui que entram os eletrólitos, ou sais como são mais conhecidos. Os eletrólitos são chamados assim por que os sais em suspensão na água, se dissociam formando íons de cargas elétricas opostas, fundamentais no transporte interno dos solutos, nutrientes e mais uma série de regulações.

 

Temos que ter em mente também, que as técnicas de reidratação devem ser utilizadas em conjunto com outras estratégias, principalmente com uma boa alimentação, pois um dos maiores inimigos para uma boa absorção inicial da água é justamente o alimento sólido, então para que a recuperação seja realmente eficiente, também é crucial uma boa ração depurativa à chegada, mas este é um tema para outro artigo.

 

Se o pombo bebe água pura, a sua absorção inicial além de ser pequena, será mais demorada, se ele ingerir alimentos sólidos imediatamente após a chegada então, o processo fica mais demorado ainda, pois o alimento sólido forçará a presença de água no sistema digestório, então o ideal é antes, oferecer aos pombos uma solução reidratante, para recuperar a osmolaridade, antes que este possa ingerir algum alimento sólido.

 

Outro detalhe para o qual devemos estar atentos é o seguinte: você já percebeu aquela excreção verde viscosa, bastante aquosa, que o pombo apresenta quando chega de uma prova dura ou muito longa? Esta é uma indicação clara de que ele usou todas as suas reservas alimentares e seu sistema digestório está vazio! Aquela massa verde viscosa, basicamente, é a eliminação da bile, que é produzida continuamente pelo fígado. Pombos não tem vesícula biliar para armazenar a bile, e o excesso é eliminado pelas fezes. Depois de um longo período sem se alimentar os níveis de sais e nutrientes do corpo diminuem, os pombos passam a utilizar a própria massa corporal, e os rejeitos se unem com as sobras no intestino, juntamente com a bile, para serem eliminados. Nesta etapa a concentração de solutos é maior dentro do aparelho digestório, fazendo com que parte da água do organismo (que nesta ocasião já é pouca), seja deslocada para o intestino, e fatalmente será eliminada pelas fezes.

 

As aves, juntamente com os mamíferos, são chamados uricotélicos, pois são os únicos vertebrados que secretam uma urina hipertônica, sendo que as aves apresentam pequenos corpúsculos renais, que eliminam ácido úrico em estado semissólido com pouca água, juntamente com excesso de sais, então não é pela urina que os pombos eliminam o excesso de água. Os pombos eliminam a água do corpo, principalmente, através da respiração, no processo de equilíbrio da temperatura corporal, se uma ave elimina água juntamente com as fezes, corre sério risco de sofrer uma desidratação.

 

Pombos Bebendo ÁguaA reidratação neste momento é crucial para que o pombo consiga recuperar o equilíbrio osmótico o mais rápido possível, pois a manutenção desta situação por períodos de tempo prolongados, pode acarretar sérios quadros de desidratação, que podem inclusive levar a óbito.

 

A reidratação inicial vai promover uma recuperação do abatimento natural, causado pela baixa de nutrientes, ou seja, vai provocar um estimulo de recuperação, e a ave terá mais ânimo para se alimentar e fazer as outras atividades cotidianas, sem ficar tão abatida no poleiro.

 

O CAMINHO DAS ÁGUAS

 

Pois bem, a água se movimenta entre os órgãos internos principalmente por osmose, ou seja, ela se desloca para o local que apresenta a maior quantidade de solutos, principalmente sais. Como nós vimos no artigo “Digestão, uma Função Importante”, quando o alimento vai sendo digerido no aparelho digestório, a quantidade de solutos vai aumentando. Então no duodeno, quando boa parte dos carboidratos já foram digeridos, uma grande quantidade de água é injetada em seu interior. À medida que esse carboidrato é absorvido, por intermédio dos sais, no percurso do intestino, esta água é novamente reabsorvida. Os carboidratos podem se encontrar de várias formas, como glicose, frutose, galactose, sucrose, lactose, maltose, etc., mas o organismo utiliza apenas a glicose (C6H12O6) como fonte de energia, as outras formas precisam ser trabalhadas, antes que possam ser utilizadas.

 

Os carboidratos também, só podem ser absorvidos na presença de sais, por isso utilizamos no soro reidratante o principal sal que participa do transporte da glicose para dentro do organismo, que é o cloreto de sódio (NaCl).

 

Então basicamente, para que possa ser absorvida rapidamente para o interior do organismo, a solução reidratante deve conter: água, glicose e sal (H2O + C6H12O6 + NaCl). Os produtos reidratantes que encontramos no mercado contém basicamente estes dois componentes: carboidratos, na forma de glicose; e sais, na forma principalmente de cloretos e citratos de sódio e potássio, que ao serem adicionados a água formam a solução que vai promover a reidratação.

 

Aparelho DigestivoA glicose utilizada na solução, acompanhada de sais, não precisa ser digerida e passa rapidamente do papo para o duodeno, sendo rapidamente absorvida, como esta solução apresenta uma grande quantidade de água, não haverá necessidade de injeção de água no duodeno, por parte do organismo. A medida que a glicose, juntamente com os sais, é transferida para o interior do organismo uma grande quantidade de água também é absorvida por osmose, hidratando todo o corpo.

 

Resumindo: os carboidratos irão suprir rapidamente o déficit de energia, e os sais tem duas funções importantes, a primeira é garantir que os carboidratos sejam absorvidos e a segunda é que vão garantir uma grande absorção de água para um bom funcionamento do organismo.

 

OUTROS SAIS UTILIZADOS NA REIDRATAÇÃO

 

Os principais componentes que são absorvidos com a glicose são o sódio (Na) e o potássio (K), eles podem estar presentes em vários sais, além do Cloreto de Sódio (NaCl) e o Cloreto de Potássio (KCl), como no Citrato de Sódio (Na3C6H5O7), Fosfato de Sódio (Na3PO4), Bicarbonato de Sódio (NaHCO3), Sulfato de Sódio (Na2SO4), Citrato de Potássio (C6H5K3O7), Fluoreto de Potássio (KF), etc. por isso ouvimos falar em reidratantes com cinco, sete ou até mais sais. É lógico que cada um deles pode atender a demanda de sódio e potássio do organismo, e a combinação entre eles pode melhorar a performance, mas é preciso muito cuidado na formulação do reidratante, procure utilizar as combinações que já se encontram prontas no mercado, até por que, as formas mais simples como o NaCl e o KCl, são mais fáceis de serem solubilizados e absorvidos.

 

Os sais têm que ser aplicados na quantidade certa, nem muito, para não ficar sobras no intestino e provocar uma diarreia, nem tão pouco, que não sejam suficientes para promover a absorção dos carboidratos e da água.

 

A formulação mais comum de reidratante, encontrada no comércio, é a que contém Glicose, Cloreto de Sódio, Cloreto de Potássio e Citrato de Sódio, em concentrações que podem atender uma demanda de desidratação leve, ou grave, como podemos encontrar nos reidratantes para uso humano da Eurofarma que apresentam duas concentrações diferentes, o REHIDRAT®50, para desidratações leves e o REHIDRAT®90, para o caso de desidratação mais grave.

 

Para uso animal existe o ELETROLÍTICO PET da VETNIL, que além destes componentes ainda contém cálcio, a concentração máxima indicada é de 250 ml de água por sachê, podendo ser diluído em 500 ml ou 1 litro, dependendo da necessidade de reidratação, por exemplo: você pode diluir o sachê em 1 litro na chegada de provas de Velocidade, 500 ml para provas de Meio Fundo e 250 ml para provas de Fundo.

 

Agora, alguém poderia me perguntar se aquele soro caseiro feito com sal de cozinha e açúcar poderia ser usado, e eu diria sim, pode ser usado, e vai exercer uma função reidratante, porém o único sal presente é o cloreto de sódio, e o carboidrato do açúcar caseiro é a sacarose que, portanto, precisa ser trabalhada pelo organismo para se extrair a glicose, antes de ser utilizada, isso gera perda de tempo e energia. Se você não tiver o reidratante à mão, o soro caseiro é melhor que água pura, mas como estamos tratando de pombos onde se busca um alto rendimento, o reidratante específico terá um resultado mais eficiente.

 

Mel de AbelhasHá também aqueles que gostam de usar mel de abelhas na reidratação dos pombos, também funciona, com a vantagem que os carboidratos do mel são basicamente frutose e glicose, que apresentam rápida absorção, além do mel ser enriquecido com algumas vitaminas importantes, porém, há que se ter em mente que o mel apresenta teores de sais muito baixos, e para que funcione como reidratante é preciso acrescentar uma pitada de sal, pois sem ele a absorção será mais lenta, e a recuperação mais demorada.

 

FAZENDO SORO EM CASA

 

Como eu já havia dito antes, o sal de cozinha contém apenas o Cloreto de Sódio, então para que você tenha um reidratante eficiente, você pode preparar sua própria combinação de sais em casa, por exemplo:

120g de Cloreto de Sódio (NaCl), que é o nosso sal de cozinha.

50g de Cloreto de Potássio (KCl).

100g de Citrato de Sódio (Na3C6H5O7), se não encontrar, pode substituir por Bicarbonato de Sódio (NaHCO3) na mesma quantidade.

Use esta mistura para substituir o sal de cozinha no soro caseiro.

Como fonte de carboidratos você pode utilizar a Dextrose Anidra (C6H12O6)

SORO CASEIRO

1 litro de água

1 colher de sopa de açúcar

1 colher de chá de sal

SORO COM MEL

1 litro de água

1 colher de sopa de mel

1 colher de chá de sal ou da mistura de sais

MISTURA CASEIRA

1 litro de água

1 colher de sopa de Dextrose Anidra

1 colher de chá da mistura de sais

 

Nas provas de Velocidade use apenas ½ colher de chá de sal, ou 2 litros de água, o que julgar melhor.

 

Depois de aplicar o soro reidratante, espere de 15 a 20 minutos antes de oferecer a ração.

 

Agora sim o intestino está preparado para receber os primeiros alimentos sólidos, mas isso também deve ser regulado, pois como ele estava vazio, precisa ser estimulado vagarosamente, para que retorne ao seu funcionamento normal, é aqui que entram as rações depurativas que veremos em outro artigo.

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil

Artigos relacionados

Tags

Compartilhe

Deixe uma resposta